Pesquisar neste blogue

A carregar...

terça-feira, 1 de Fevereiro de 2011

UMA VERDADEIRA AÇORDA......DAS QUE CHEIRAM MAL

Nos tempos que correm, em que o que se diz parece ter mais importância ou assumir contornos de verdade, deixa para trás a verdadeira escolha das palavras, aquelas que transmitem o que não se diz, em que as que não se dizem são as reais transportadoras do sentimento que leva ao discurso, aquelas que todos sabem que eram as que se deveria dizer. A não escolha de palavras pra mim ainda é importante, e a elaboração de uma verdadeira açorda de conceitos, pareceres ou ideias..........cheira-me mal.
Fez-me lembrar um vendedor de carros, falar de um modelo novo usando como despedida o modelo antigo, é, sem dúvida, errado, a mim só me deixa sensação de saudade no vendedor, e uma leve réstea de acreditação no modelo novo. Caso para perguntar, mas porque mandaram o antigo embora? algum masoquismo e sentir de saudade..............
Mas para quê falar de um antigo se nunca se falou de todos aqueles que esse antigo deixou ficar mal, sem óleo, sem bateria ou simplesmente deixou gastar os travões até ao ferro?
Para agora dizer a esses que o novo modelo (aquele de qual se fala sempre tendo como fundo o antigo) poderá constituir um virar de página?
Há uma primeira impressão a tirar, se não sabe realmente pedir desculpa mostrar arrependimento (talvez por não o sentir) e usa outros argumentos para vender o seu "peixe", não escolheu a palavra ARROGANTE, mas ela está escrita em tudo o que diz.
Há uma segunda impressão a tirar, se no discurso fala do novo para se despedir do antigo e não sabe como não pedir que quer os clientes desmotivados de volta e acaba por pedir do alto da arrogãncia, venha cá depois contar quantos teve de volta e se nem um conseguiu mover, aconchegue bem a arrogãncia e leve-a bem para fora do negócio para onde deveria ter ido aquando do modelo antigo.

P.S. Este é um post de palavras escolhidas para não se dizer mas que sei que muitos sabem quais são e deveriam ter sido ditas, não é um post sobre carros e seus vendedores.

quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

O CONDADO DE CASTRO DAIRE NO MUNDO

Não deixa de ser curioso e aqui fica o registo dos pontos de origem de visita deste blog.

terça-feira, 14 de Setembro de 2010

SERÁ QUE JÁ É HORA DE TRABALHAR

Já passaram os bons meses para adaptação, já passou o pleno do Verão e suas festas, romarias e sessões solenes, será que agora já iremos ver este executivo a trabalhar ou vamos continuar a vê-los em grupo nas comerzanas e festas?!?!?!?!??!?!?!?!?
As suas promessas Sr Presidente continuam ainda por cumprir, e deixe-me que lhe lembre uma que tanto o Sr falou mas que sempre soou a irrealidade, a loja do cidadão.........
Tal como aqui mesmo neste blog se referiu era bem melhor e viável uma profissionalização dos serviços autárquicos, poderia sim inclusivé criar um balcão de atendimento multiserviços que lhe poderia garantir como em muitas outras autarquias alguns serviços da administração central. Mas parece que caíu em saco roto. Continuamos com serviços que não lembram a ninguém, e deixe-me dar o exemplo de um. A cobrança da água.
Realmente nestes anos todos nunca tinha percebido bem o regular funcionamento deste serviço que pelo que parece é mesmo assim que está regulamentado, e pude apreciar nestas últimas férias em que me encontrava na minha residência.
Em dia determinado ou seja lá como for, o cobrador passa pela residência e faz a contagem e posteriormente passa novamente e deixa o recibo, para quem trabalha, e pelos vistos somos cada vez menos, não está em casa para efectuar o pagamento........ mas sempre fica o aviso para poder fazer esse pagamento na própria autarquia. No entanto esse pagamento não pode ser feito quando o cliente e eleitor tenha disponibilidade, tem apenas 2 dias especificos, mencionados no recibo á mão, e entre as 9h00 e as 16h00, ora mais uma vez, para quem trabalha, e pelos vistos somos cada vez menos não é possivel fazer esse pagamento. Não caro leitor, não é possivel fazer pagamento numa payshop nem através de multibanco, e nem sequer através de transferência online. Pode sim optar por débito directo na conta com as suas nuances mas acima de tudo desvantagens.
Ora o cliente, porque trabalha e não está em casa sentado no sofá, nem pode deslocar-se no seu horário de trabalho para pagar a água, recebe passado uns dias uma carta, oficio ou aliás notificação de falta de pagamento, em termos ameaçadores de corte de serviço senão fizer o pagamento em "X" dias mas este pagamento inclui já juros de mora.
È este um exemplo dos serviços desta autarquia em pleno sec XXI............